terça-feira, 30 de abril de 2013

Estelionatários são presos no momento em que tentavam aplicar golpe

A Polícia Civil, através de uma denúncia, conseguiu prender três pessoas que falsificavam documentos público para realizar empréstimos em agências bancárias. Um mês antes de ser desmascarado, o trio já havia feito um empréstimo que seria de R$ 12 mil e já pretendia realizar outro de alto valor na mesma agência se passando por outras pessoas, mas, desconfiado, um dos funcionários do Banco acionou a polícia e os falsários foram presos. No apartamento de um dos acusados, investigadores apreenderam vários documentos falsificados e objetos utilizados para o golpe. As prisões aconteceram ontem a tarde no Centro da Cidade de Castanhal, nordeste do Estado.
           
Acusados (clique na foto)
No dia de ontem, por volta das 12h, policiais civis se encontravam de plantão na sede da Superintendência do Salgado, quando receberam uma ligação feita por um funcionário do Banco Banpará, informando que duas pessoas suspeitas estavam no interior da agência tentando fazer um empréstimo de R$ 4.500,00 e que essas mesmas pessoas, um mês antes, já haviam feito um empréstimo no valor de R$ 12 mil, usando outros documentos. Com a informação precisa, uma equipe de investigadores foi até o Banco, onde foi informada sobre quem eram os suspeitos. Renato Alexandre Almeida da Silva, 26, e Lucimar Vieira Gomes, 57 anos, foram flagrados com documentos falsos e receberam voz de prisão ainda na agência. Sandra Maria de Souza Ferreira, 27 anos, a terceira pessoa acusada de fazer parte do esquema criminoso, foi localizada em um apartamento de um prédio situado na Avenida Magalhães Barata, Centro de Castanhal, onde a polícia encontrou vários documentos falsificados, como: documento de identidade, Carteira de Habilitação, título de eleitor, dentre outros. Um notebook e uma impressora, equipamentos que serviam para fabricar documentos e agendar dados de como os golpes seriam aplicados, também foram apreendidos. 
Material apreendido (clique na foto)
           
Ao serem apresentados na sede da superintendência, os envolvidos falaram pouco. Lucimar Vieira disse que reside em Belém (capital) e que é mãe de Sandra Maria. Renato Alexandre informou que é natural de Fortaleza (capital do Ceará) e que estava morando a pouco tempo em Castanhal. Já Sandra preferiu o silêncio. 
           
Segundo o delegado Bruno Brasil Lima, as três pessoas presas seriam autuadas pelos crimes de falsidade ideológica, falsificação de documentos público e estelionato. Em seguida seriam transferidas para o sistema penitenciário do Estado. Ainda segundo o delegado, um inquérito foi instaurado para apurar se outras pessoas estariam envolvidas no esquema.

Texto e fotos: Tiago Silva

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Dupla é presa sob a acusação de ter roubado R$ 40.000,00 mil em joias

Um adolescente foi apreendido e dois adultos foram detidos acusados de terem participado de um assalto contra uma residência de onde foi roubado um mostruário com joias avaliadas em R$ 40 mil. O assalto aconteceu na tarde do último sábado (27) na cidade  de Castanhal, e os suspeitos foram localizados no município de Santo Antônio do Tauá, nordeste do Estado. Um casal, que também teria participado do assalto, conseguiu fugir e está sendo procurado pela polícia. Duas das três armas de fogo utilizadas no crime foram apreendidas e as joias roubadas foram, segundo a polícia, recuperadas e entregues à dona.

Era por volta das 13h de sábado (27), quando cinco pessoas, entre elas uma mulher, invadiram uma residência, situada no bairro Estrela, para roubarem joias de ouro. Um dos bandidos, assim que adentrou no imóvel, teria rendido a vítima apontando um revolver para sua cabeça, enquanto que outro perguntava pelas joias. Outros dois homens ficaram cada um com uma arma de fogo em punho e uma mulher dava cobertura vendo se alguém se aproximava do imóvel. Toda a ação teria durado em torno de cinco a dez minutos e depois de terem nas mãos brincos, anéis e pulseiras de alto valor, a quadrilha seguiu fuga num carro da marca Fiat Uno Way de cor prata. A Polícia Militar foi informada do ocorrido e passou a fazer diligências em busca dos assaltantes, vindo a localizar o carro, usado na fuga, abandonado no ramal da Agrovila Iracema, zona rural de Castanhal, e dentro do veículo estava uma pistola tipo bereta calibre 38 e uma espingarda escopeta calibre 20, sendo que as duas armas estavam municiadas. 

A Polícia formou equipes que se deslocaram até o município de Santo Antonio do Tauá, onde informações davam conta que o bando se refugiava naquele município, do nordeste Paraense, e conseguiram deter Leandro Chaves de Castro, 23, Marcelo Lima Oliveira, 22, e apreender um adolescente de 17 anos. Outro homem fugiu do cerco policial na companhia de uma mulher. Com a dupla detida a polícia recuperou as joias.

Na delegacia do Centro de Castanhal, onde os envolvidos foram apresentados para o flagrante, Marcelo Lima disse que reside em Castanhal e que foi ele quem repassou todas as informações sobre a rotina da vítima aos seus comparsas, que são de outros municípios. Marcelo estava com micro cortes, por várias partes do corpo, provocado por plantas do mato (malícia) quando tentava fugir da polícia se embrenhando na mata. Leandro Chaves informou que reside em Mãe do Rio e que seu papel no assalto era apenas dirigir o carro. Já o adolescente disse apenas que mora em Salinópolis.

Texto e fotos: Tiago Silva

Polícia Civil prende quadrilha especializada em assaltos a residências

Policiais Civis do Núcleo de Apoio a Investigação (NAI) e da Superintendência do Salgado prenderam três pessoas acusadas de fazerem parte de uma quadrilha especializada em assaltos a residências e a estabelecimentos comerciais de vários municípios da região e, de acordo com a polícia, o alvo principal dos bandidos eram propriedades de descendentes de japoneses. Durante a operação, que foi denominada "Nipon", foram apreendidos vários objetos roubados, além de dinheiro e de uma arma de fogo, que era utilizada para intimidar as vítimas durante os assaltos. As prisões aconteceram entre as 9h e 10h de sexta-feira, 26, nos municípios de Santa Isabel do Pará e Marituba, região metropolitana de Belém.

Depois de quase três meses investigando os frequentes assaltos a residências, que vinham acontecendo, principalmente no município de Santo Antonio do Tauá, a Polícia Civil conseguiu identificar alguns suspeitos de integrarem a quadrilha; e foi depois de um assalto ocorrido por volta das 4h da madrugada de sexta-feira, 26, em Santa Isabel, que três dos envolvidos foram presos, são eles: Reinaldo Sousa Aguiar, vulgo "Bob", 36, que seria o chefe do bando; e o casal Maria Carolina Jordão dos Santos, 18, e Genison Claiton Coelho Pereira, 24 anos. Em duas residências dos acusados, a polícia encontrou uma quantia em dinheiro e todos os objetos que haviam sido roubados no último assalto, que foram quatro garrafas de Whisky, frascos de perfume, relógios e celulares. Eletrodomésticos, brinquedos e outros produtos roubados em assaltos anteriores também foram recuperados. "Essa quadrilha é especializada em roubar japoneses da comunidade nipônica de Santa Isabel e de Santo Antonio do Tauá. Eles já vêm agindo há três anos e são responsáveis por aproximadamente 20 a 30 assaltos cometidos contra residências, sítios e fazendas de japoneses. Todos eles têm mandado de prisão, sendo que os homens vão ser autuados em flagrante delito por roubo qualificado e a mulher vai responder por receptação, pela maioria dos objetos terem sido encontrados na casa dela", delegado Augusto Damasceno, coordenador da operação.

Segundo a polícia, Genison roubava objetos de uso feminino para presentear sua namorada Carolina e brinquedos para entregar a seu filho, que completou um ano no dia da operação "NIpon", inclusive na casa da criança já estavam todos os preparativos para o aniversário, que teria sido bancado com o dinheiro proveniente das ações criminosas.

O delegado Augusto Damasceno, durante entrevista, relatou que o bando agia com extrema violência agredindo as vítimas e, em alguns casos, integrantes tentavam estuprar as donas de casa. "Eles são perigosos, tanto é que esse revólver calibre 38 foi encontrado na casa de um deles. Depois dos roubos, como nenhum sabe dirigir, eles obrigavam alguém da casa a conduzir o carro até certo local e depois fugiam de bicicleta ou a pé" contou o delegado.

Primeiramente os presos foram levados à delegacia de Santa Isabel e posteriormente para a sede do NAI, no Distrito de Apeú, em Castanhal, para a realização do flagrante. Após os procedimentos Reinaldo Sousa e Genison Claiton ficaram custodiados no Centro de Recuperação de Castanhal (CRCAST) e Maria Carolina seria transferida para o Centro de Recuperação Feminino (CRF), em Ananindeua. Segundo o delegado Augusto Damasceno, mais dez mandados de prisão contra a quadrilha deverão ser cumpridos.

Texto e fotos: Tiago Silva

sexta-feira, 26 de abril de 2013

PM estoura “Boca de fumo” e prende traficantes em Castanhal


Uma denúncia anônima levou equipes da Polícia Militar a estourarem uma “Boca de fumo”, localizada em um bairro de periferia da Cidade de Castanhal, nordeste do Estado. No local foi encontrada uma quantidade significativa de droga e três pessoas adultas foram presas, além de um adolescente ser apreendido. A batida policial aconteceu na tarde de ontem, por volta das 16h.
           
Após receber uma denúncia, via 190 (SIOP), de que em uma casa de nº 408, situada no bairro Milagre, pessoas estariam preparando drogas
para serem vendidas, uma equipe do grupamento ROCAM (Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas), sob o comando do cabo Pina, se deslocou até o endereço, Rua Castelo Branco com a Alameda Firmino Pereira, para averiguar a informação e durante uma revista no imóvel foram encontradas 25 “petecas” de pasta base de cocaína e mais produtos utilizados no preparo do entorpecente, como: barrilha leve, solução de bateria e sacos plásticos. Outra equipe da PM teve que ser acionada, pois havia várias pessoas na residência. “Primeiro chegaram os policiais de motocicletas, depois minha equipe foi acionada para dar reforço, pois as pessoas que se encontravam na casa estavam fugindo pulando quintais e invadindo residências. Quando as duas equipes se juntaram foi feito o cerco e, das cinco pessoas que estavam no imóvel, apenas uma conseguiu escapar”, contou o Capitão Gilberto.
          
Durante a batida policial foram presos os adultos: Vanderlei Lameira, 23; Maria José Costa de Souza, 28; e a dona da casa Terezinha Bernarda Souza Costa, de 47 anos. Um menor de idade, que segundo a polícia, jogou parte da droga dentro de um vaso sanitário, foi apreendido. “O que nos chama mais atenção é que o ponto de venda da droga fica ao lado de uma escola infantil”, disse um dos policiais.
           
Os adultos foram conduzidos à 12ª Seccional da Jaderlândia para serem apresentados ao delegado Paulo Benício, que iria autuá-los por tráfico e associação ao trafico de drogas, além de corrupção de menor. As mulheres seriam transferidas para o Centro de Recuperação Feminino (CRF), em Ananindeua e o homem ficaria custodiado no presídio de Castanhal. Enquanto ao menor, ele foi entregue ao Conselho Tutelar e posteriormente aos seus responsáveis.

Texto e fotos: Tiago Silva

São João da Ponta: suspeito de estupro é preso e alega inocência

A Polícia Militar deteve no município de São João da Ponta, nordeste Paraense, um homem de 27 anos, que teria violentado sexualmente uma mulher de 30. Segundo a vítima, o estupro teria acontecido na manhã de ontem, por volta das 10h, numa roça de mandioca, onde ela trabalhava, e para forçá-la a tirar a roupa, o homem teria utilizado uma espingarda calibre 28. Constava no boletim de ocorrência que o suspeito teria estuprado a mulher por três vezes durante duas horas de tempo e que se ela reagisse, ele a mataria. A detenção do homem aconteceu já durante a tarde e ele foi conduzido à delegacia, onde foi autuado pelo crime de estupro.

Matias Carvalho Lopes foi detido por volta das 14h25, em sua residência, onde a PM também encontrou uma arma de fogo, tipo espingarda, com duas munições intactas. A polícia foi até a casa, localizada na Rua Maria de Nazaré, bairro Pantanal, atender uma acusação de que Matias teria cometido um estupro horas antes. Ele negou, mas a vítima disse à polícia não ter dúvidas de que foi ele o autor da violência. 

“Ela foi pra roça, que fica a cerca de 400 metros da casa dela, e custou a retornar. Isso chamou a atenção dos familiares que foram buscá-la e ao chegarem na roça teriam visto o Matias violentando a mulher. Ele correu, mas foi denunciado pela vítima e preso pela Polícia Militar”, Delegado Antônio Roberto, explicando o caso. Na delegacia, a Polícia Civil puxou a ficha do detido e descobriu que ele já tinha passagem por um homicídio cometido anos atrás no município de Irituia. Ao ser questionado sobre os casos, Matias apenas disse que não falaria nada à imprensa e que iria provar sua inocência no dia de seu julgamento. 

Segundo o delegado de plantão, Matias Carvalho Lopes, além de ser autuado por estupro, também foi autuado pelo crime de porte ilegal de arma de fogo e posse de munição. Ele seria transferido para o Centro de Recuperação de Castanhal (CRCAST) para ficar à disposição da Justiça.

Texto e fotos: Tiago Silva

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Arma de fogo seria usada por menores em assaltos

Um adolescente de 17 anos, na companhia de outro de 16 anos, após uma abordagem policial, foi flagrado em poder de uma arma caseira calibre 28 com uma munição intacta. A dupla de adolescentes estava numa moto e teria revelado à polícia que a arma seria usada durante assaltos. A apreensão dos menores, com mais uma arma de fogo retirada de circulação, aconteceu pela madrugada de ontem, por volta das 2h.
           
Em ronda pela cidade de Castanhal, nordeste do Estado, a fim de combater a criminalidade, policiais militares lotados na 12ª Zona de policiamento, passavam pela Rua Castelo Branco, no bairro Milagre, quando avistaram dois jovens em atitudes suspeitas numa moto. Desconfiado, o cabo Máximo, com apoio dos soldados Paiva e Sobrinho, realizou uma abordagem nos suspeitos, que ainda tentaram fugir, mas foram impedidos depois que a viatura 5305 triscou a dianteira na traseira da moto, vindo a intimidar os suspeitos. Já durante uma revista pessoal foi encontrada uma espingarda caseira entre as vestes do adolescente de 17 anos. Após algumas perguntas, os menores disseram que residem no município de Inhangapi e que estavam em Castanhal apenas para roubarem alguns celulares.
           
O plano dos infratores deu errado e foram encaminhados à 12ª Seccional da Jaderlândia, onde foram apresentados ao delegado Marco Antonio Farias. O Policial Civil realizou um auto de apreensão e deverá solicitar a internação do adolescente com mais idade, por porte ilegal de arma de fogo, junto ao Ministério Público.

Texto e foto: Tiago Silva

Quem será a próxima vítima? Castanhal registra o 33º assassinato em 2013

Castanhal é uma cidade do nordeste Paraense, fica localizada a 65 km da capital (Belém), com a área de 1.029,191 km² abriga cerca de 159.110 habitantes, segundo dados do IBGE, e tem apenas 81 anos de emancipação política e, apesar de ser uma cidade jovem, já é considerada uma das que mais se registram crimes de homicídio no estado do Pará e, segundo a própria Polícia Civil, desde quando começou o ano de 2013 já aconteceram 33 assassinatos. 

Somente neste mês foram 16 vidas ceifadas. O caso mais recente aconteceu na noite da última terça-feira, onde a vítima foi executada a bala em frente a própria casa. Edmundo Ramos da Paixão, de 17 anos, foi a 33ª pessoa a ser assassinada em Castanhal. O crime aconteceu no bairro Salgadinho, por volta das 21h20. 
A vítima se encontrava na Rua Fortaleza, em frente a casa onde morava, quando foi alvejada por alguns tiros disparados por dois homens numa moto. Edmundo ainda correu para tentar escapar da morte, mas, antes de chegar à porta de sua residência, foi alcançado e executado com mais tiros, que atingiram várias partes do corpo. 

Após ter certeza de que o alvo não iria sobreviver, os assassinos fugiram em alta velocidade no veículo automotor. Depois de alguns minutos, a reportagem do DIÁRIO foi informada do fato e compareceu no local, onde uma mulher, que seria a companheira da vítima, chorava bastante. “Não tira foto dele. Ele ainda está vivo! chama a ambulância, por favor. Eras, ele ainda apertou minha mão. Amor levanta amor, levanta!”, pedia a mulher chorando bastante. Uma guarnição da PM comandada pelo cabo J. Carlos e soldado Carem esteve resguardando a cena do crime, pois muitos curiosos queriam ver de perto o corpo; alguns chegaram até tocar os ferimentos a bala, sujando os dedos de sangue. 

Segundo informações repassadas pela polícia, o adolescente, quando em vida, já havia sido apreendido pelas práticas de atos inflacionais de tráfico de drogas e roubo. Familiares não souberam informar se o assassinado tinha inimigos. O corpo foi velado em casa de familiares e o sepultamento aconteceria na tarde de ontem no cemitério da cidade.

Policiais resguardando a sena do crime
O caso está sob investigação da Divisão de Homicídios, que pretende dar uma resposta positiva investigando também outros assassinatos. “O crime aconteceu num horário não tão tarde. Existe a possibilidade de terem testemunhas e equipes já estão trabalhando na identificação delas. Deixamos sempre claro que as identidades das testemunhas não serão reveladas. Às vezes as pessoas sentem medo de denunciar, mas precisamos da colaboração da comunidade pra que a gente possa desenvolver um trabalho e tentar chegar às informações que levem ao esclarecimento de crimes”, delegado Temmer Kayate.

Os frequentes assassinatos vêm assustando os castanhalenses e para acalmá-los, as polícias pretendem unir forças para tentar diminuir o índice da violência. “Vou reunir com o superintendente da Polícia Civil para que nós possamos organizar um trabalho de prevenção, tanto contra o crime de homicídio, quanto de outros tipos de crimes”, repassou o Tenente Coronel Mauro Pinheiro, comandante do 5º BPM.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Castanhal: detido suspeito de traficar drogas em praça pública

Em Castanhal, nordeste do Estado, uma guarnição do grupamento ROCAM (Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas), da Polícia Militar, deteve um homem sob a suspeita de ser traficante. Com o acusado Sérgio Augusto Cavalcante Silva, 20 anos, a polícia encontrou oito petecas de pasta base de cocaína, além de uma quantia em dinheiro. Sérgio Augusto foi apresentado, na noite de ontem, na delegacia do Centro da cidade e autuado por tráfico de entorpecente.
          
Era por volta das 21h35min, quando, via rádio, a guarnição comandada pelo Cabo M. George recebeu a informação de que um traficante estaria comercializando drogas ao lado de um ginásio poliesportivo, situado no Conjunto Fonte Boa. Ao chegarem ao local informado, os policiais avistaram um suspeito e, durante uma revista, encontraram com o homem oito petecas de pasta base de cocaína e mais a quantia de R$ 62,00, miúdo que, segundo a polícia, seria fruto da venda de mais entorpecentes. Sérgio confessou que estaria vendendo droga em plena praça pública e foi conduzido até a delegacia, onde foi apresentado ao delegado Fábio Veloso de Castro. O delegado após ouvir a PM e o acusado, decidiu então autuá-lo pelo crime de tráfico de droga, conforme o artigo 33, do código penal Brasileiro.
          
A polícia acredita que o preso estaria recebendo a droga de um grande traficante para revender no Conjunto Fonte Boa. “Foram poucas petecas, mas possivelmente ele já teria vendido outras antes da chegada dos PMs. Vamos investigar agora quem é a pessoa que forneceu a droga pro Sérgio“, falou Fábio Veloso, delegado de Polícia Civil.
          
Sérgio Augusto Cavalcante Silva, após passar por exames de praxe no IML, foi transferido para o Centro de Recuperação de Castanhal (CRCAST), onde ficará à disposição da justiça.

Texto e fotos: Tiago Silva

Castanhal: PM premia cabos e sargentos


Na manhã de ontem, terça-feira, 23, o tenente coronel Mauro Pinheiro, comandante do 5° Batalhão da Polícia Militar, em solenidade alusiva a Tiradentes, patrono das polícias militares, em formatura no auditório do 5° BPM, efetuou a entrega de 05 medalhas Tiradentes consignadas pelo coronel Daniel Borges Mendes, comandante geral da Polícia Militar do Pará, aos sargentos PM Marques, R. Ferreira e Walmir e aos Cabos PM W. Negrão e Freire, e ainda 57 medalhas de 10 e 20 anos de bons serviços prestados a PMPA a outros policiais militares do 5° Batalhão.

A solenidade contou com a presença da banda de música do corpo de bombeiros militar de Castanhal e de familiares dos agraciados. Ainda foram feitas referências as promoções do Tenente PM Jorge, que passa agora a ser Capitão PM Jorge; e dos Sargentos PM J. Monteiro, Edimar, Santos, Souza, Paulo e J. Azevedo, que foram promovidos no último dia 21 de abril a 2º Sargento.
           
Com as promoções e entrega de medalhas, os policiais disseram se sentir mais motivados em seus
serviços, combatendo a criminalidade.

Foragido de Colônia Agrícola é recapturado em São Domingos do Capim

A Polícia Militar, por meio da guarnição do cabo José e soldados Ranieri e Bandeira, recapturou em São Domingos do Capim, município do nordeste paraense, um foragido de justiça que havia sido condenado a cumprir 20 anos de prisão pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte). Charles José Albino Neves, vulgo “Japona”, de 30 anos, estava foragido da Colônia Agrícola Heleno Fragoso, mas foi localizado. Junto com ele, a polícia encontrou entorpecentes. A recaptura aconteceu durante uma abordagem de rotina, por volta das 10h15 de ontem.

Os policiais militares realizavam rondas pelo Centro de São Domingos do Capim quando perceberam dois homens em atitude suspeita. Ao ver a polícia, a dupla demonstrou nervosismo, então a guarnição policial fez uma abordagem aos suspeitos e encontrou sete ‘petecas’ de pasta base de cocaína no bolso de Charles José Albino Neves. 

Ao ser questionado sobre a droga, Charles disse que iria fumar com um amigo de nome Antonio Mário do Espírito Santo, conhecido por ‘Nambu’. Os dois negaram ser traficantes. 
A dupla foi conduzida à delegacia. “Desconfiamos que os dois estariam envolvidos em algum tipo de crime e resolvemos apresentá-los aqui na delegacia, onde descobrimos que o ‘Japona’ é foragido da Colônia Agrícola (Heleno Fragoso). Contra o ‘Nambu’, não consta nada, então ele pode ser apenas um usuário de droga”, contou o Soldado Ranieri.

Charles José disse que há 12 anos matou um de seus desafetos com vários golpes de terçado, mas negou que era para roubar e disse que o motivo do assassinato teria sido provocado por uma discussão entre ele e a vítima. “Foi uma confusão. Ele veio para cima de mim e eu matei ele, sem chance de defesa”, confessou. O recapturado informou que inicialmente passou três anos preso em São Domingos do Capim, depois foi transferido para o Centro de Recuperação de Castanhal, onde passou mais três anos encarcerado; em seguida foi encaminhado ao presídio de Americano I, onde ficou mais dois anos preso e, por último, a justiça entendeu que ele tinha condições favoráveis em responder pelo crime em regime semiaberto, na Colônia Agrícola Heleno Fragoso, em Santa Isabel do Pará, de onde conseguiu fugir faz pouco tempo.

Detido novamente, Charles ficará em regime fechado para pagar o restante da pena e responderá por consumo de entorpecente. Antonio Mário do Espírito Santo assinou o Termo Circunstanciado de Ocorrência, também por consumo, e seria liberado.

Texto e foto: Tiago Silva

terça-feira, 23 de abril de 2013

Em Igarapé-Açú, PA: Suspeita de assalto a banco assusta moradores

Moradores de Igarapé-Açu, no nordeste paraense, se aglomeraram logo no início da manhã desta terça-feira (23) em frente a uma agência bancária do município. O motivo seria um suposto assalto que estaria acontecendo dentro do banco, inclusive com funcionários sendo feitos reféns. Porém, a Polícia Civil afirmou que se tratou de um alarme falso.

“Estão lá dentro, tem refém. Já teve um tiro, tem muita gente aqui na frente”, conta a moradora Camila Souza, que acompanha o caso em frente ao banco. Assim como ela, muitos outros moradores acreditam que assaltantes estão desde cedo dentro da agência bancária, fazendo os funcionários de reféns.

Policiais Militares foram deslocados até o local por conta do alarme de assalto que teria sido acionado pelo gerente geral do banco. De acordo com o delegado de polícia do interior, Silvio Maués, o gerente administrativo do banco teria ouvido um barulho estranho e acreditado que teria alguém dentro da agência. Ele se trancou em uma sala e avisou o gerente geral, que não estava na agência.

“Ele acionou a Polícia Militar, que já entrou na agência, fez buscas e não havia ninguém dentro do prédio. Não houve nenhuma ação direta contra o gerente ou contra os funcionários”, explica o delegado.

Maués acredita que a mobilização da polícia tenha chamado atenção da população. “Tem muita polícia lá. Ao fazer essas solicitações há uma rotina. Se há possibilidade de sequestro, os policiais têm uma rotina, se é assalto, a rotina é diferente”, afirma o delegado do interior.

Fonte: Do G1 Pará

Acidentes: Manifestantes interditam BR-316


Indignados com frequentes acidentes, que estariam acontecendo na altura do km 48, no Distrito de Americano, em Santa Isabel do Pará, alguns moradores resolveram, na manhã de ontem, interditar a BR-316 ateando fogo em pneus e jogando paus e pedras na pista. Com a BR totalmente fechada veio a provocar um enorme engarrafamento que, segundo a Polícia Rodoviária Federal, chegou a atingir os 10 km de extensão. A manifestação durou aproximadamente 3h e só terminou com a chegada da PM para a negociação com os manifestantes em liberar a via.
           
A movimentação deu início por volta das 7h45 depois que um pedestre de 69 anos foi atropelado por uma ambulância. A vítima atravessava a pista, quando foi atingida pelo carro, que seguia sentido Belém. O motorista foi quem socorreu e conduziu o idoso até o hospital Metropolitano, em Ananindeua, para cuidar dos ferimentos. Logo após o acidente, testemunhas se reuniram com alguns moradores e interditaram a BR-316, inicialmente com toras de madeira. Em seguida outro grupo chegou ao local com vários pneus para serem queimados na pista. O objetivo da manifestação era chamar a atenção das autoridades. "Aqui tinha uma lombada que fazia os motoristas reduzirem a velocidade. Mas ela (lambada) foi arrancada e colocaram essa tal de 'arara' aqui e nem ta funcionando. Queremos outra lombada ou então que essa eletrônica funcione, pois sem lombada acontecem muitos acidentes aqui", desabafou Sonia Soares, moradora das proximidades.
           
Quem saíram prejudicados foram os condutores de veículos, que precisavam ir ao trabalho ou chegar em casa: ninguém conseguia ir até Belém ou em direção contrária. Com isso, o trânsito ficou parado e de acordo com o Inspetor Carlos, da PRF, foi de pelo menos 10 km de engarrafamento, sendo de cinco em cada sentido da rodovia.
           
A primeira equipe a chegar ao local para negociar a liberação da via com os manifestantes foi a guarnição do Tenente Rocha. O PM informou que a negociação foi tranquila. "Eles só estão querendo uma lombada no local para diminuir os acidentes. Fora isso, apenas os pinéus que foram queimados, mas a situação já foi contornada", disse Rocha. Com o fim da negociação, uma equipe dos Bombeiros fez o serviço de resfriamento e desobstrução da via; e para que o trafego de veículos voltasse a fluir normalmente, policiais rodoviários dos postos de Benevides, Ananindeua e Castanhal, estiveram presentes para orientar os motoristas e, só assim, por volta das 10h15, o trânsito voltou ao normal.
           
Agentes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DENIT) se reuniram, no posto da PRF de Castanhal, com alguns manifestantes onde foi acordado que até as 18h de hoje, a lombada eletrônica estará em pleno funcionamento. Alguns moradores se sentiram aliviados com a notícia, mas adiantaram que se a promessa não for cumprida -“Nós vamos interditar a BR de novo e dessa vez não vai ser por poucas horas”-, ameaçou um manifestante.

Texto e fotos: Tiago Silva

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Carros se chocam provocando a morte de duas pessoas na BR-316

Um grave acidente, que envolveu um carro particular e uma ambulância, deixou duas vítimas fatais e outras cinco gravemente feridas. A forte colisão aconteceu por volta das 21h45 do último sábado (20), no km 82 da BR-316, entre os municípios de Castanhal e Santa Maria do Pará, nordeste do Estado. A batida teria sido consequência de uma ultrapassagem perigosa feita pelo condutor do carro de passeio, que estaria alcoolizado.

Era por volta das 21h52, quando policiais do Serviço Integrado de Operações (Siosp), de Castanhal, receberam uma ligaçãoinformando que uma ambulância havia se chocado com um carro tipo Fiat, e que várias pessoas se encontravam gravemente feridas no local. Com as informações, equipes de resgate do Corpo de Bombeiros foram ao local do acidente e se depararam com uma sena forte: os dois veículos estavam totalmente destruídos; o motorista do carro Fiat já estava morto, e mais seis pessoas precisavam de atendimento com urgência. Tendo conhecimento da gravidade do acidente, uma guarnição dos Bombeiros se preocupou em logo retirar as vítimas, que ainda estavam vivas, das ferragens e levá-las a um hospital mais próximo, que foi o de Castanhal. Mas uma passageira do carro particular não resistiu e morreu no hospital. 

As vítimas fatais foram identificadas como sendo Francisco Célio Isídio, 30, e Ivete Silva de Gusmão, 34 anos. Além das vítimas fatais estavam no Fiat quatro adolescentes do sexo masculino, que sobreviveram ao acidente. Na ambulância estava apenas o motorista, que seguia viagem de Santa Maria à Castanhal, quando colidiu frontalmente com o outro carro, que seguia na direção contrária.

Além de equipes de resgate, estiveram também no local a Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil. Peritos do IML foram para realizar a remoção do corpo. Testemunhas informaram às autoridades policiais, que o carro de passeio colidiu com a ambulância após o motorista ter feito uma ultrapassagem indevida. O delegado Antônio Roberto teve informações de que o motorista que veio a óbito voltava de um aniversário com amigos e que ele estaria embriagado. 

A Polícia Civil já abriu um inquérito para apurar a real causa que provocou o grave acidente.

Texto e foto: Tiago Silva

Cadeirante é preso acusado de mandar matar devedor

Dois dias foi o tempo que a Polícia Civil levou para desvendar um crime de homicídio ocorrido na noite do dia 17 desse mês na Vila de Quadros, zona rural do município de Magalhães Barata, nordeste do Estado. A vítima foi executada com vários tiros pelo corpo e um acusado de ser o mandante do assassinato foi preso e apresentado na delegacia local na manhã da última sexta-feira (19). O executor foi identificado, mas ainda se encontra foragido.

Paulo Roberto (preso)
Patrick Pessoa Pinto, 47 anos, recebeu pelo menos quatro tiros, quando estava dentro de sua própria casa, por volta das 21h. Após os disparos, o atirador fugiu do local, enquanto que a vítima foi socorrida e levada a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Uma testemunha ocular teria reconhecido o assassino como sendo o irmão de um homem, que havia vendido um carro à vítima e foi com essa informação que a equipe do delegado Casemiro Beltrão chegou até o cadeirante Paulo Roberto Ferreira Cascas, 26 anos, principal suspeito de ser o mandante do crime. De acordo com a polícia, Paulo Roberto teria vendido um carro para a vítima, que não lhe pagou, e por isso, ele ordenou a morte de Patrick. “Ele (acusado) disse que tinha um dinheiro pra receber do Patrick e que todas as vezes que ele ia lá, o Patrick sempre o enrolava dizendo que ainda não tinha dinheiro, então, o Paulo pediu para que seu irmão matasse o devedor”, explicou o delegado Casemiro. Welington Thiago Ferreira Cascas, 21, é o irmão de Paulo. Ele é quem teria efetuado os disparos que ceifaram a vida de Patrick.

Paulo Roberto Cascas foi preso em um mangal, tentando fugir da polícia. Os investigadores Marques e Marapanim descobriram que os acusados se encontravam refugiados em uma casa, situada na localidade de Itapari, interior de Magalhães Barata. Os policiais foram, com o delegado Casemiro, até a casa e, mesmo de cadeira de rodas, Paulo se embrenhou no mangal para fugir, mas devido a dificuldade de locomoção, ele não conseguiu ir longe e foi preso. Apenas seu irmão não foi encontrado. Na casa, onde estavam os acusados, foram apreendidas duas toucas de cor preta, que seriam usadas durante ações criminosas.

Welington Thiago (procurado)
Na delegacia, o acusado confessou à reportagem do DIÁRIO que mandou matar porque a vítima lhe devia o valor de R$ 1.100,00 (hum mil e cem reais). “O Patrick pegou o meu carro sem a minha permissão, trocou algumas peças e depois disse que ia me dar dois mil reais, mas ele me deu só R$900,00 e ainda queria me enrolar o resto; então mandei passar o ‘sal’ nele”, confessou friamente o acusado. O motivo de estar numa cadeira de rodas, Paulo disse que foi por conta de um tiro que ele levou na coluna durante uma briga no bairro da Cabanagem em Belém, local onde residia.

O Principal suspeito de ser o mandante do crime já foi preso e se encontra à disposição da justiça. Agora a polícia está à procura de Welington Tiago Cascas, que seria o autor dos disparos.

Texto e foto: Tiago Silva

Castanhal: três são assassinados em apenas 14 horas


Na cidade  de Castanhal, nordeste do Estado, em apenas 14 horas foram registrados três assassinatos. Em dois casos, as vítimas chegaram a ser socorridas e levadas a hospitais, mas não resistiram aos graves ferimentos e morreram. Os homicídios aconteceram em bairros periféricos e em uma zona rural da cidade. A polícia trabalha para desvendar os crimes que assustaram moradores
castanhalenses.


Vítima "Dhu dhu"
O primeiro homicídio foi registrado por volta das 18h de quinta-feira (18), onde a vítima foi um ex-presidiário de nome Paulo Sérgio Figueira de Brito, conhecido como “Dhu dhu”, de 24 anos. Ele se encontrava próximo à ponte do bairro Imperial, quando, segundo a polícia, um homem desceu da garupa de uma moto e efetuou vários disparos, vindo a acertar alguns em seu alvo, que era “Dhu Dhu”. Em seguida, o atirador correu em direção ao seu comparsa, que pilotava o veículo, e os dois fugiram sem deixar pistas. A vítima foi socorrida no local por bombeiros e levada ao hospital de Castanhal, mas morreu antes mesmo de ser transferida ao Metropolitano, em Ananindeua. Segundo a polícia, Paulo Sérgio Figueira era conhecido pela prática de assaltos na cidade e acredita que ele foi mais uma vítima do “acerto de contas”.

O segundo assassinato, a polícia diz que pode ter acontecido pela madrugada de sexta-feira, 19, entre as 4h e as 5h, pois o corpo foi encontrado por volta das 07h45, jogado na beira de um ramal da Agrovila Bacuri, zona rural da cidade. Alguns agricultores seguiam para o trabalho quando avistaram o corpo estirado na beira do mato e resolveram acionar a polícia, ligando para o 190 (Ciop). Uma guarnição da PM, composta pelos cabos J. Azevedo e Ataíde, foi a primeira a chegar ao local e colher informações sobre o caso, mas, por se tratar de um local distante, possivelmente não havia testemunhas oculares. “O que colhemos aqui é que no local se encontram duas cápsulas de pistola calibre 380 e que a vítima foi executada com pelo menos dois tiros na cabeça. Apenas curiosos se encontram no local e dificilmente alguém viu o assassino”, disse o cabo Ataíde. Até o fechamento dessa reportagem a polícia ainda não havia identificado o nome da vítima, que aparentava ter entre 25 e 30 anos. As primeiras investigações da polícia apontam que o homem teria sido levado para ser executada no ramal.

O terceiro crime de homicídio foi registrado cedo da manhã de sexta-feira, 19. Um adolescente de 17 anos foi atingido com um tiro na cabeça dentro de um mercadinho, localizado de esquina com as ruas Lauro Sodré e Eusébio For Eliza, no bairro Milagre. O jovem foi socorrido e levado por equipes do Samu primeiramente para o hospital da cidade. Mas, como o caso foi grave, o paciente foi encaminhado ao Hospital Metropolitano, em Ananindeua, onde ficou por algumas horas com vida e posteriormente morreu.

A vítima foi baleada dentro do estabelecimento comercial, por volta das 8h. Segundo a polícia, a vítima era funcionária do Mercadinho e ainda é um mistério quem teria feito o disparo. No boletim de ocorrência, registrado na 12ª Seccional da Jaderlândia, o sargento PM Antonio Marcos conta que sua equipe foi acionada para ir ao local do baleamento e, ao chegar ao estabelecimento, foi feita uma revista, onde foi encontrado um estojo de munições de revólver calibre 38.
Ao perguntar para funcionários quem seria o atirador, a resposta foi que o disparo teria sido acidental. O filho do dono do estabelecimento, identificado por Elidielson dos Santos Moura, estaria no caixa quando aconteceu o disparo e, após o fato, ele teria fugido do local. Mais explicações não foram repassadas à polícia.

A reportagem do DIÁRIO esteve à tarde na seccional para ter detalhes sobre o caso e o delegado Marco Antonio Farias informou que intimações haviam sido feitas ao dono do estabelecimento e ao seu filho, mas que eles não compareceram para prestar esclarecimentos.

O delegado Temmer Kayate, responsável pela Divisão de Homicídios, falou sobre os três assassinatos que foram registrados em apenas 14h. O delegado disse que todos os casos irão ser investigados com calma para dar uma resposta positiva à sociedade. “Realmente o número de homicídios vêm aumentando na cidade, mas iremos trabalhar através de investigações e com o apoio da comunidade, que precisa denunciar onde podem estar esses criminosos, para chegarmos até os autores desses homicídios”, disse
Temmer.


De acordo com o delegado, só neste ano, de janeiro até ontem, foram registrados 30 assassinatos em Castanhal. “Esses números realmente assustam! Foram cinco em janeiro, cinco e fevereiro, sete em março e só nesse mês de abril já foram 13 homicídios registrados aqui na cidade”, afirmou o
delegado.


Segundo suspeito de assassinar taxista se entrega à polícia


Dyandison Allefdes da Costa, de 19 anos, compareceu na delegacia do Distrito de Outeiro para prestar esclarecimentos sobre sua participação num assassinato ocorrido no dia 10 desse mês no município de Peixe-Boi, onde a vítima foi um taxista. Contra o suspeito já existia um mandado de prisão preventiva decretado pela justiça. Ele recebeu voz de prisão ainda quando estava na delegacia.

O crime aconteceu na manhã do dia 10 desse mês e, de acordo com a polícia, o taxista Raimundo Duarte Pinheiro, 67, estava em seu ponto de serviço no município de Peixe-Boi, quando por volta das 7h realizou uma corrida para três jovens, que o mataram para roubar o veículo e pertences pessoais. O corpo foi abandonado em um ramal de Santa Maria do Pará e o carro foi encontrado no dia seguinte abandonado no Jardim Sideral, em Belém. A vítima era bastante conhecida em Peixe-Boi. Além de ser taxista, Raimundo Duarte também era presidente da associação da categoria e já havia sido vereador por dois mandatos no município. O assassinato repercutiu em todo o Estado.

A sociedade cobrava respostas da polícia sobre o caso. O delegado Patrício Pontes solicitou à justiça as prisões preventivas de três suspeitos e o Juiz Augusto Bruno de Moraes Favacho, da Comarca de Santa Maria, expediu os mandados de prisões; dois deles já foram cumpridos.Dyandison é o segundo suspeito que se apresenta. O primeiro foi Antônio Gilson Ferreira Moreira, também de 19 anos, que se apresentou com um advogado na manhã da última quarta-feira, 17, na delegacia de Castanhal. Um terceiro participante do crime, que foi apontado por Antônio e Dyandison, ainda se encontra foragido.

A dupla que se apresentou confessou que o taxista foi morto por enforcamento. Uma corda foi usada para o crime, mas os acusados alegaram que não tinham a pretenção de matar e sim de assustar a vítima. Os dois acusados, que confessaram o crime, irão responder por latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte. 

Texto e Foto: Tiago Silva

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Suspeito de matar taxista em Peixe-Boi se apresenta na delegacia

Uma das três pessoas suspeitas de assassinar um taxista do município de Peixe-Boi se apresentou ontem, quarta-feira, 17, na Delegacia de Castanhal. A vítima, que era presidente de uma associação de taxistas e que já foi por duas vezes vereador de seu município, foi morta por asfixia na manhã do dia 10 desse mês, dentro do próprio carro, que foi encontrado abandonado no dia seguinte em Belém. Contra o suspeito, um jovem de 19 anos, já existia um mandado de prisão decretado pela justiça. 

Antonio Gilson
Antônio Gilson Ferreira Moreira, 19, se apresentou por volta das 11h30, acompanhado de um advogado. O delegado Patrício Pontes, responsável pelo inquérito policial, deu detalhes sobre o caso à reportagem do DIÁRIO. A autoridade policial informou que a vítima Raimundo Duarte Pinheiro, 67 anos, morreu por asfixia após ser enforcada com uma corda. “Três indivíduos solicitaram uma corrida com o taxista em Peixe-Boi, por volta das 07h, e no caminho mataram o taxista o enforcando com uma corda. Eles seguiram com o carro da vítima até um ramal de Santa Maria do Pará, onde deixaram o corpo e em seguida se dirigiram pra Belém e abandonaram o veículo no jardim Sideral”, detalhou o delegado.

Na delegacia, Antônio Gilson confessou que ele e mais dois homens enforcaram a vítima, mas que era para ser apenas um susto. “A corda era minha, eu levei de casa no meu bolso até o carro, mas não queríamos matar ele e sim dar um susto. Não pensei que ele fosse morrer. Me sinto arrependido e por isso me entreguei”, disse Antônio. A polícia acredita que o trio premeditou o roubo, mas ainda investiga se a intenção do trio era realmente executar a vítima.

Enquanto aos comparsas de Antônio, o delegado Patrício já solicitou as prisões preventivas dos foragidos à justiça, que já foram expedidos pelo Juiz Augusto Bruno de Moraes Favacho, o mesmo que expediu o mandado de prisão contra Antônio Gilson Ferreira Moreira. “O Antônio vai responder por latrocínio (roubo seguido de morte) e ficará à disposição da Justiça no Centro de Recuperação de Castanhal”, Patrício Pontes.

Texto e foto: Tiago Silva

Presa quadrilha intermunicipal que assaltava e traficava drogas em Castanhal

A Polícia Civil prendeu uma quadrilha intermunicipal, que estaria cometendo assaltos contra veículos alternativos no município de Castanhal, nordeste do Estado. O bando composto por seis pessoas, entre elas uma mulher, foi localizado no interior de uma casa, onde foram encontrados, pela polícia, vários objetos pessoais que foram roubados de passageiros de um ônibus, além de uma pequena quantidade de maconha. A prisão foi feita por policiais da Superintendência do Salgado e do Núcleo de Apoio a Investigação.

Na tarde da última terça-feira, 16, várias pessoas compareceram na delegacia do Centro de Castanhal para registrarem boletins de ocorrência, alegando que se encontravam como passageiros de um ônibus, que faz linha aos bairros Imperial / Centro, quando por volta das 16h foram vítimas de assalto. Três criminosos, com uma arma de fogo, teriam anunciado o roubo e posteriormente levado objetos pessoais e dinheiro de passageiros. Em seguida o trio teria descido do coletivo para fugir.

Enquanto as vítimas registravam os boletins, o investigador Monteiro organizou uma equipe policial para apurar uma denuncia de tráfico de drogas em uma casa, localizada na periferia da cidade. Ao chegar no endereço, na rua 21 de abril, bairro Salgadinho, além de uma pequena quantidade de maconha ser apreendida, a polícia encontrou carteiras de identidade, sendo que uma delas, um dos investigadores reconheceu, através da foto, como sendo de uma das vítimas que havia comparecido na delegacia para se queixar de roubo. Supondo que na casa estariam os assaltantes, a equipe policial foi até outro compartimento do imóvel e localizou 04 bolsas femininas, 05 aparelhos de celular, relógios, cordões e a quantia de aproximadamente R$ 500,00, miúdo, além de roupas; tudo produto de roubo. 

Na casa receberam voz de prisão: Alexi Sousa Carvalho, 18, residente em Belém; José Maria da Silva Benjamim, 22, morador de Castanhal; Antonio Edigiones Reis da Silva; 24, de São Francisco do Pará; Dielison da Silva Miranda, 18, de Mosqueiro; e Belice Lima da Conceição, 32 anos; que reside em Igarapé-Açú. Um menor de 17 anos foi apreendido. O grupo foi conduzido à delegacia do Centro, onde três dos integrantes foram reconhecidos pelas vítimas como sendo os assaltantes.

De acordo com o delegado Fernando Rocha, Belice, conhecida por “Berê” era quem comandava e coordenava a quadrilha. “Ela era quem comanda tudo, inclusive é a principal traficante de Igarapé-Açú. Ela pretendia se instalar em Castanhal, mas acabou presa”, afirmou Fernando Rocha. Ainda segundo a polícia o grupo estaria envolvido em vários outros assaltos contra coletivos em Castanhal. Dos seis envolvidos, apenas o Dielisosn confessou sua participação no assalto. A arma do crime não foi encontrada.

Os adultos foram autuados por roubo qualificado e formação de quadrilha. O adolescente, a polícia pretende solicitar sua internação junto ao ministério público.

Texto e fotos: Tiago Silva

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Suspeito de matar segurança para roubar arma está detido

Na tarde de ontem, terça-feira, 16, em Castanhal, nordeste do Estado, um segurança particular foi atingido por pelo menos três tiros de arma de fogo e ainda teve sua arma roubada pelo atirador. O segurança estava em frente a uma loja de eletrodomésticos, que ele vigiava, quando foi baleado. A vítima foi socorrida e levada ao hospital em estado de saúde considerado gravíssimo e morreu na madrugada de hoje, quarta-feira, 17. Um suspeito de ser o autor dos disparos foi detido e duas pessoas, que segundo a polícia, pretendiam ajudar o atirador a fugir, também foram levadas à delegacia.

A arma de fogo do vigilante, que seria um revólver calibre 38, foi roubada por volta das 16h na rua Adailson Rodrigues, no bairro Jaderlândia, e segundo informações de testemunhas, que presenciaram a ação, a vítima identificada como Benedito Estandirlau Terra, 46 anos, estava em uma oficina de bicicleta, localizada em frente à loja, quando foi surpreendido por um bandido que logo chegou atirando e em seguida roubou a arma da vítima. “Ele (segurança) estava aqui na loja e depois foi sentar naquele banco daquela oficina, onde todas as tardes ele costuma ficar e depois só ouvimos os tiros. Quando fomos ver, ele já estava no chão e deu pra perceber o bandido, um 'magrinho', correndo pra outra rua”, contou um funcionário da loja, que preferiu não se identificar. Atingido com dois tiros no tórax e um no ombro, Benedito foi socorrido e levado ao hospital municipal de Castanhal e em seguida ao Metropolitano em Ananindeua, em estado considerado gravíssimo. 

A vítima, ainda consciente teria dito à policia o nome do atirador, que seria Rafael. A PM, que foi a primeira a chegar no local, fez buscas às proximidades e avistou o suspeito na rua Francisco Alves de Melo, a poucas quadras onde ocorreu o baleamento, e deteve o acusado. “A vítima nos informou que seria o Rafael, elemento já conhecido da polícia. Avistamos ele entrando num carro Meriva. Fizemos a abordagem no veículo e detivemos ele e o motorista”, informou o Tenente PM Weber. Além do suspeito e do motorista, foi detido também outro homem, que teria avisado a chegada da polícia. “Esse jovem também veio conduzido até a delegacia por tentar facilitar a fuga dos suspeitos apontando a nossa chegada” repassou o tenente. Buscas foram feitas para tentar localizar a arma roubada e a que foi utilizada no baleamento, mas elas não foram encontradas.

Rafael Valente de Souza, 24, suspeito de ser o atirador; o motorista e o jovem, que teriam pretendido facilitar a fuga do atirador, foram levados à 12ª Seccional da Jaderlândia para prestarem esclarecimentos e posteriormente apenas Rafael ficou detido. Parentes e conhecidos do acusado foram até a frente da Seccional alegar que o detido era inocente e tentaram intimidar o trabalho da imprensa "encarando" profissionais da mídia de forma ameaçadora. Uma irmã de Rafael apresentou um alvará de soltura constatando que seu irmão já havia sido preso por tráfico de drogas e que ele estava solto pela justiça há 15 dias. A chegada de Rafael Valente na delegacia foi rápida. Logo ele foi levado para a carceragem para que testemunhas não fossem vistas pelo acusado. Rafael negou sua participação e dizia estar sendo perseguido. 

Rafael (acusado)
Segundo a polícia, por volta das 2h40 de hoje o Benedito Estandirlau Terra não resistiu aos graves ferimentos e veio a óbito. O delegado Temmer Cayate, da Divisão de Homicídios, repassou à reportagem do ROTA CASTANHAL que ontem foi feito contra Rafael o flagrante de tentativa de homicídio, mas como a vítima veio a falecer, ainda hoje (quarta-feira, 17,) será encaminhado um ofício à justiça solicitando a transformação do flagrante para homicídio qualificado e consumado. "O acusado Rafael Valente de Souza se encontra na delegacia do Centro de Castanhal para ser ouvido, pois existem mais acusações contra ele de ter participação em outros crimes. Logo depois, ele deverá ser transferido pro Centro de Recuperação de Castanhal ou pro presídio de Americano", disse Temmer Cayate.

Está presa mais uma quadrilha envonvida com o tráfico de drogas em Castanhal

“Ela percebeu a nossa presença e correu pra fechar a porta da casa”, palavras de um policial.  Foi dessa forma que uma mulher suspeita de ser traficante teria recebido uma equipe da policia civil, que apurava denuncias anônimas de tráfico de entorpecentes em um bairro de periferia da cidade de Castanhal, nordeste do Estado. A atitude da mulher fez com que quatro policiais entrassem no imóvel e apreendessem uma boa quantidade de maconha e de pasta base de cocaína. Mais drogas não foram encontradas pelo fato de terem sido jogadas no vaso sanitário. Toda essa ação foi registrada ao anoitecer da última sexta-feira (12).

Após receber várias denuncias de que em uma casa, localizada no bairro da Saudade I, funcionaria uma “boca de fumo”, os investigadores Nivaldo, Junior, Azevedo e Monteiro, foram até o endereço Av. Altamira, citado nas denuncias, e antes mesmo de montarem campana, uma mulher acabou que meio se entregando. Ao desconfiar do carro em que estavam os investigadores, a mulher correu e adentrou na cuja casa apontada nas denuncias. “Já tínhamos informações de que lá era um ponto de venda de drogas, mas o que mais reforçou a nossa desconfiança foi a atitude dela quando nos viu. Ao entrarmos na casa encontramos mais três pessoas. Solicitamos uma revista, momento em que foi encontrado no imóvel essa certa quantidade de droga e só não achamos mais por que a Michele jogou o restante no vaso sanitário e deu a descarga”, Contou Monteiro, chefe de operações da Zona do Salgado. Ao todo foram apreendidas oito petecas de pasta base de cocaína, nove de maconha e três pequenos tabletes, também, de maconha. 

Michele dos Santos Souza, 21 anos, é a mulher que trancou a porta ao ver a equipe policial. Além dela, estavam na casa Antonia Valdilene Ribeiro dos Santos, 28, Deivid do Carmo Sousa, 20, e Cleidison Sousa Silva, de 21 anos. Três dos que estavam no imóvel negaram serem os donos do material apreendido, apenas o Deivid confessou ser o proprietário dos entorpecentes. “Isso tudo aí é meu, eles estavam lá só me visitando e não têm nada a ver com isso! Não tenho mais nada pra falar”, confessou Deivid. 

“Todos eles já têm passagens pela polícia, inclusive a Michele foi presa há cerca de dois anos suspeita de ter matado o próprio marido e já estava solta”, falou Monteiro. Quando indagada pela reportagem do ROTA CASTANHAL sobre ser assassina, Michele confessou que ficou presa durante um ano pela acusação, mas negou ser a autora das facadas que ceifaram a vida de seu companheiro. Ela preferiu não entrar em detalhes sobre o caso.

Por ter confessado ser o dono dos entorpecentes Deivid do Carmo Sousa foi autuado por tráfico. Enquanto que Antonia Valdilene Ribeiro, Clenilson Sousa e Michele dos Santos foram autuados por associação para o tráfico de drogas.

Polícia prende suspeito de matar diretor do PSOL

A Polícia Civil apresentou na noite da última segunda-feira, 15, por volta das 21 horas, na sede da Superintendência Regional da Zona do Salgado, em Castanhal, nordeste Paraense, o pistoleiro Cristiano Xavier do Nascimento, 26 anos, detido suspeito de executar a tiros o diretor regional do Partido Socialismo e Liberdade (PSol), Maurício André Souto da Silva, conhecido como “André Caruaru”, em Tomé-Açu.

O crime aconteceu em 16 de janeiro desse ano. Com mandado de prisão decretado pela Justiça da cidade, Cristiano foi detido logo após sair de casa, durante a noite, no último final de semana, em Tomé-Açu, por policiais civis do município, sob o comando do delegado Cláudio Fonseca.

O delegado explicou que a equipe policial manteve uma campana (vigilância) perto da casa do acusado para ter certeza de que ele estava no local. Após ver a moto do acusado no imóvel, os policiais passaram a manter observação na residência até o momento em que o suspeito saía da casa, e quando saiu foi detido. Cristiano tem mais dois mandados de prisão decretados em Goianésia do Pará e Tailândia, por crimes de roubo qualificado. Ele é fugitivo da cidade de Goianésia do Pará. Em Tomé-Açu, Cristiano é conhecido como sendo um pistoleiro em atuação na região.

As investigações ainda não encerraram, explica o delegado Cláudio Fonseca. “Falta ainda definir a motivação. Temos duas linhas de investigação: crime passional ou crime político”, explica. Da mesma forma, ainda não há definição de quem foi o mandante da execução. Maurício André foi candidato a vereador pelo município. Cristiano é citado em outros três inquéritos policiais sob suspeita de participação em crimes de homicídios com características de pistolagem no município. A vítima foi morta enquanto estava em um bar de sua propriedade, por volta de 23 horas, quando foi atingida com cerca de cinco tiros por um homem que chegou a pé. Após o crime, o assassino fugiu em um carro que o aguardava na rua.

Polícia Civil investiga duplo homicídio em Castanhal


A Polícia Civil, através da Divisão de Homicídios, investiga um duplo assassinato, que aconteceu na manhã do último sábado (13) em Castanhal, nordeste do Estado. As vítimas foram mortas a bala e a primeira linha de investigação, de acordo com os policiais, seria um suposto “acerto de contas”. 

Os crimes teriam acontecido entre as 09h30 e 10h no lixão do bairro Pantanal, periferia da cidade. As vítimas são um adolescente de 17 anos e Márcio Jones Nascimento dos Santos, o “Dadinho”, 19. Eles foram executados com tiros na cabeça, costas, mãos, pernas e nádegas. Sete cartuchos deflagrados de pistola calibre 380 e quatro de revólver calibre 38 foram encontrados próximo aos corpos, o que faz a polícia acreditar que seriam dois os assassinos.

A primeira equipe policial a colher informações no local foi a guarnição do subtenente Dutra e soldado Jorge. Mas, como em outras ocasiões, a “lei do silêncio” prevaleceu. “Chegamos aqui pra saber se alguém viu alguma coisa ou se ouviu barulho de tiros, mas ninguém quer chegar perto da polícia, talvez por medo de represálias”, disse o subtenente Dutra.

Finado "Dadinho"
Márcio jones
Os cadáveres ficaram durante aproximadamente três horas jogados na lama, sob os olhares de curiosos, até a chegada de peritos do IML para a remoção. A viúva do Márcio, o “Dadinho”, que também era a
irmã do adolescente, permaneceu calma. Mas quando um dos peritos retirou os lençóis que cobriam os corpos, a mulher entrou em desespero e chorou bastante. A viúva Rafaela do Socorro Gualberto Machado informou para o delegado Paulo Benício que seu esposo vendia drogas há cerca de um ano e que ele possuía uma passagem na polícia por tráfico,. Quanto ao irmão infrator, Rafaela disse que ele nunca havia sido apreendido. Ambas a vítimas não tinham documento de identidade, apenas certidão de nascimento.

A polícia acredita que Raimundo e Marcio teriam sido atraídos até o lixão do Pantanal por outras pessoas para serem executados. “Provavelmente eles foram atraídos pra cá ou iriam repartir algum roubo e, durante a partilha, foram mortos. Mas isso a Polícia Civil é quem vai investigar”, contou o PM Dutra. Na delegacia, alguns familiares informaram que “Dadinho” saiu de sua casa por volta das 9h numa motocicleta Twister e com um aparelho celular. Esses objetos não se encontravam na cena do crime.

Fotos e texto: Tiago Silva