quinta-feira, 23 de outubro de 2014

PENITENCIÁRIAS: CONDIÇÕES DE TRABALHO SÃO DESUMANAS

A Associação de Familiares das Praças do Pará (AFPPA) entregou no Ministério Público Militar e no Ministério Público do Estado um oficio denunciando que policiais militares do Batalhão de Policiamento Ostensivo Penitenciário (Bepop) estão trabalhando em condições desumanas em algumas unidades prisionais do Estado. As denúncias também chegaram ao conhecimento da comissão dos Direitos Humanos e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) sessão Pará.

Na conhecida Colônia Penal Agrícola Heleno Fragoso, em Santa Izabel, segundo as denúncias, apenas cinco policiais militares vigiam cerca de 700 detentos que cumprem pena por diversos tipos de crimes em regime semiaberto.

“Detentos fazem ameaças constantes e jogam pedras nos militares que usam armas letais. Outros equipamentos, como cassetetes e arma de choque, eles não possuem. Uma vez, um policial surtou e efetuou vários disparos de arma de fogo para o alto”, contou Lidiane Cavalcante Moura, integrante da AFPPA. Lidiane disse ainda que há muito tempo os militares da Bepop não passam por acompanhamento psicológico.

Ainda de acordo com as denúncias, na Colônia Penal, durante o dia, policiais deitam no chão sobre colchões velhos para descansar, pois no local não possui camas. Uma barraca de lona, doada pela Defesa Civil e montada pelo Corpo de Bombeiros no meio do campo, serve como dormitório no período noturno.

No Centro de Recuperação de Americano (CRA I e II) existem 18 guaritas, mas somente duas funcionam com dois policiais armados, segundo a associação. Na Central de Triagem Metropolitana (CTM), que foi construída para abrigar presos provisórios e que atualmente custodia detentos considerados perigosos, não tem policial de guarda. As imagens feitas pelos denunciantes mostram que a cozinha do Complexo Penitenciário de Americano não possui a menor condição de higiene.

No alojamento existem colchonetes com muitos anos de uso. Os armários estão deteriorados e os ventiladores de teto estão quase caindo. A guarita de entrada da penitenciária está caindo aos pedaços e os bancos de cimento estão quebrados. As passarelas por onde os PMs transitam estão rachadas e corre risco de desabamento.

O complexo Penitenciário de Marituba também foi fotografado e a situação não é diferente. Apenas dois refletores iluminam as celas dos internos e a noite fica quase tudo na escuridão. As guaritas não têm proteção e quando chove os militares ficam todos molhados. O lixo é visto por todos os lados e o mal cheiro dá para sentir de longe e atrai dezenas de urubus. O lixo amontoado em um terreno baldio bem ao lado dos quartos e da cozinha do alojamento também atrai ratos e baratas, bem como animais peçonhentos.

Os policiais militares já tiveram fardas roídas por ratos. O banheiro do alojamento está desativado, pois as pias e vasos sanitários estão quebrados. Os militares usam o banheiro dos agentes prisionais ou as vezes fazem suas necessidades fisiológicas em sacolas plásticas ou em folhas de jornais porque no local não tem material de higiene pessoal.

O oficio com as denúncias também foi entregue na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) para que providências sejam tomadas com urgência.

Reportagem: Tiago Silva

terça-feira, 21 de outubro de 2014

UM É MORTO A TIROS E OUTRO MORRE AFOGADO



No conhecido balneário "Marapanim", situado às margens da rodovia PA-320, entre a cidade de Castanhal e São Francisco do Pará, no nordeste do Estado, uma pessoa morreu a tiros e outra morreu afogada, após uma briga de casal. As mortes ocorreram na manhã do último domingo (19), por volta das 10h30min. A Polícia Civil ainda está a caça do responsável pelas mortes. 
De acordo com os primeiros levantamentos feitos pela polícia, dezenas de pessoas estavam no balneário "Marapanim" tomando banho de igarapé e ingerindo bebida alcoólica. Era para ser um dia de muita diversão até que em um determinado momento a pancadaria rolou entre um casal. O namorado agrediu verbalmente e fisicamente a namorada na frente de todos. Um homem, até o momento não identificado, ao perceber a cena de covardia, teria sacado um revólver da cintura e efetuado vários disparos em direção ao agressor, que teria corrido e se escondido no banheiro. 
Pelo menos duas balas perdidas acertaram Ederson Pablo da Silva Sousa, de 31 anos, que não tinha nada a ver com a história. Ele morreu na hora e familiares ficaram revoltados. Ao ouvir o barulho dos disparos, o jovem Nilson Dias da Silva, de 18 anos, se assustou e resolveu pular no igarapé, mas ele, que estaria embriagado, não conseguiu nadar e morreu afogado. O atirador, que quis dar uma de herói e acabou se tornando um criminoso, fugiu do local. Os corpos foram removidos por peritos para o Instituto Médico Legal (IML) de Castanhal para exames de praxe. 
A polícia pede para quem tiver qualquer informação sobre o paradeiro do assassino que o denuncie ligando para os telefones 181, da Polícia Civil, ou o 190, da Polícia Militar. O denunciante não precisa se identificar.
Reportagem: Tiago Silva

UM MORTO E SEIS FERIDOS: SALDO DE ACIDENTE NA PA-136



Uma pessoa morreu e outras seis ficaram feridas após se envolverem em um grave acidente de trânsito ocorrido na tarde do último domingo (19), por volta das 17h, na rodovia PA-136, entre a cidade de Castanhal e o município de Inhangapi, no nordeste paraense. Um casal em uma motocicleta colidiu com um carro. O motoqueiro morreu na hora e a esposa dele se encontra em estado grave de saúde. Cinco pessoas, que estavam no carro, foram levadas para um hospital e passam bem. Os veículos ficaram totalmente danificados.
Segundo informações do sargento R. Nonato e dos cabos Ricardo e Viegas, da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), Raimundo Nonato de Araújo e a esposa dele, estavam em uma motocicleta modelo antigo, setenta cilindradas, cor vermelha. O casal fazia o trajeto Castanhal / Inhangapi quando, próximo da empresa Mafrinorte, colidiram frontalmente com um carro modelo Fiat Uno, cor verde, que seguia no sentido contrário da rodovia. O motociclista estaria "alterado" e, segundo testemunhas, fazia zig-zag na pista. Raimundo
Nonato morreu na hora e sua companheira, ainda não identificada, sofreu fratura exposta na perna esquerda e traumatismo craniano. A mulher foi levada às pressas para o Hospital Metropolitano, em Ananindeua, e seu estado de saúde ainda é considerado gravíssimo.
No Fiat estavam cinco pessoas: o motorista Rodrigo Tairowite Petrovithc, a esposa dele, Rosangela Silva de Jesus, e seus dois filhos, sendo um garoto de 1 ano e uma menina de 3
anos de idade e mais uma sobrinha de 13. O impacto foi tão violento que a criança de 1 ano foi cuspida para fora do Fiat e o veículo capotou pelo menos três vezes na pista. Os ocupantes do Fiat Uno foram encaminhados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24 horas) de Castanhal e passam bem. Rodrigo Tairowite não possui a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e por este motivo, após receber alta médica, foi conduzido à delegacia de polícia, onde foi autuado, em flagrante, pelo delegado Paulo Benicio. Rodrigo seria transferido para o presídio para ficar à disposição da justiça.
 Reportagem: Tiago Silva 

OPERAÇÃO DETÉM 14 SUSPEITOS E APREENDE 5 ARMAS DE FOGO

Nas áreas comandadas pelo coronel França, bandidos não ocupam espaço por muito tempo. Em menos de 24 horas, policiais militares lotados no 5º BPM detiveram 15 suspeitos e apreenderam grande quantidade de entorpecente. Armas de fogo de diversos calibres foram tiradas de circulação, bem como veículos foram recuperados e devolvidos aos donos. A intenção é tentar diminuir a criminalidade na cidade de Castanhal e nos municípios do nordeste paraense.


Em Castanhal, na noite de domingo (19), por volta das 21h, o sargento Antônio Marcos e o soldado Alex apreenderam um revólver calibre 38 municiado no bairro Ianetama. A arma foi encontrada durante uma revista pessoal feita em "Felipe babá", de 23 anos. O jovem teria confessado que pretendia matar um desafeto dentro de uma casa de shows. Felipe foi autuado por porte ilegal de arma de fogo.
Mais tarde, no bairro Caiçara, quatro adolescentes foram abordados por uma guarnição da PM e 80 "petecas" de pasta base de cocaína foram encontradas. Os menores infratores foram levados para a delegacia do centro da cidade para a realização dos procedimentos cabíveis.
Luciano Alan Mathias, o "Cicatriz", 28, foragido do Guamá (Belém), foi recapturado
após o mesmo arrombar uma casa e roubar vários objetos da residência, localizada no km 38, da rodovia PA-127, no município de Maracanã. O criminoso foi apresentado na delegacia local e retornou para o presídio. Outro foragido da justiça foi recapturado no último domingo. Ronei Dias Rebelo, 30, fugiu com facilidade da Colônia Heleno Fragoso para curtir o festival da cerveja no município de Igarapé-Açu e acabou preso novamente.

Em Curuçá, por volta das 9h de ontem, um casal foi preso acusado de ter roubado a bicicleta e o aparelho celular de uma jovem que trafegava em via pública. Os acusados foram autuados por roubo pelo delegado de plantão. Uma hora depois, um carro modelo Honda Civic, cor verde, que havia sido roubado na madrugada de sábado (18) na Guanabara (Belém) foi encontrado, em Curuçá, sem a maioria das peças e entregue ao dono. Outra recuperação de veículo ocorreu também na manhã de ontem pela guarnição comandada pelo sargento R. Nonato e composta pelos cabos Ricardo e Viegas, de serviço no posto da PRE, no km 3, da rodovia PA-136, em Castanhal. A motocicleta Pop 100 foi entregue ao dono e o condutor foi autuado por receptação de veículo roubado.
Na localidade de Areal, zona rural do município de Terra Alta, os sargentos Eufrásio, comandante do destacamento, e Ezequias, comandante do Grupamento Tático Operacional (GTO), com suas equipes, prenderam quatro adultos e apreenderam um adolescente, todos suspeitos de praticarem diversos tipos de crimes naquela região. No interior de uma casa, onde os acusados estavam, os militares encontraram três revólveres calibre 38, diversas munições do mesmo calibre, e uma espingarda do tipo cartucheira calibre 36. Cerca de 60 "petecas" de pasta base de cocaína também foram encontradas no imóvel.
As prisões com apreensões ocorreram graças a denúncias anônimas de populares que não aguentavam mais conviver com tantos assaltos e com o intenso tráfico de drogas. Os adultos foram transferidos para o presídio de Castanhal e o adolescente seria internado em um abrigo para menores infratores.

Reportagem: Tiago Silva