quarta-feira, 15 de março de 2017

JOVEM É EXECUTADO COM VÁRIOS TIROS EM CASTANHAL

José Thiago Silva e Silva, de 23 anos, foi morto a tiros na cidade de Castanhal, região do nordeste paraense. O crime aconteceu na noite de segunda-feira (13), por volta das 21h30min, no bairro Nova Olinda, mais precisamente na rua Major Wilson.

O sargento Sena, da Polícia Militar, comunicou, em boletim de ocorrência, que estava de serviço na viatura 0517, em companhia do cabo PM Quaresma, quando foram informados pelo 190 sobre um tiroteio na rua Major Wilson, esquina com a Comandante Assis, no bairro Nova Olinda. “No local informado estava um carro modelo Ônix, cor prata, abandonado. Bem próximo, em um terreno baldio, havia um homem caído no meio do mato. Ele apresentava perfurações provocadas por disparos de arma de fogo no rosto e em outras partes do corpo, mas ainda respirava”, disse o sargento PM Sena.

Logo foi acionado o Corpo de Bombeiros. O rapaz foi socorrido e levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas, onde morreu poucos minutos depois de dar entrada naquela unidade de saúde. A vítima foi identificada como o José Thiago Silva e Silva, de 23 anos. Em seguida, o corpo de José Thiago foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Castanhal, onde passou por exame de necropsia. Depois foi liberado aos familiares para velório e sepultamento.

Ainda no local do crime, os policiais militares observaram que o carro, que seria de propriedade da vítima, apresentava uma perfuração de projétil de arma de fogo no vidro da janela do lado esquerdo (lugar do motorista). A porta traseira do lado direito estava aberta, sendo que as demais portas estavam fechadas e travadas. No interior do Ônix prata, junto ao câmbio, havia uma cápsula de uma arma de fogo do tipo e calibre ainda não identificados. Também dentro do veículo tinha manchas de sangue, levando a crer que o boleamento aconteceu quando a vítima ainda estava dentro do carro.

O veículo foi removido para o pátio da delegacia do centro da cidade, onde caso foi registrado no plantão do delegado Patrícia Pontes, da Polícia Civil. A motivação e autoria do crime ainda são desconhecidas.

Reportagem: Tiago Silva

ACUSADO DE HOMICÍDIO NO PARÁ É PRESO NO MARANHÃO

Policiais civis do Estado do Maranhão, com apoio de policiais civis da cidade de Castanhal, no nordeste do Pará, prenderam José Thiago Soares da Silva, acusado de ter cometido um homicídio. O crime aconteceu em Castanhal, no mês de outubro do ano passado. O acusado foi preso sexta-feira (10), na cidade de Barreirinhas/MA.

A vítima foi Maurício José Damasceno da Paixão, de idade não revelada. Na época, Maurício José foi alvejado por disparos de arma de fogo na cabeça e morreu no hospital, por volta das 18h do dia 03/10/2016. “O autor do crime mantinha relacionamento extraconjugal com a esposa da vítima. E, após tomar conhecimento que a vítima teria a intenção de matá-lo, José Thiago se antecipou e matou Maurício José”, explicou o delegado Temmer Khayat, superintendente da Polícia Civil de Castanhal.

A investigação sobre o crime foi realizada pela equipe do delegado Rayrton Carneiro, titular da 12ª Seccional do Jaderlandia de Castanhal/PA, onde o policial civil representou pela prisão do acusado. “Com o apoio do NAI (Núcleo de Apoio a Investigação) conseguimos monitorar o acusado e descobrimos que ele estava no Maranhão. Após contato com policiais civis daquele Estado, conseguimos prender o José Thiago, que confessou a autoria do crime”, detalhou o delegado Rayrton Carneiro.

José Thiago Soares da Silva será transferido para a cidade de Castanhal, no nordeste do Pará, onde ficará custodiado no presídio à disposição da justiça até o dia de seu julgamento. “É mais um acusado de homicídio preso e um trabalho concluído com sucesso”, finalizou Reyrton Carneiro, delegado de Polícia Civil.

Reportagem: Tiago Silva

MISTÉRIO: HOMEM APARECE MORTO COM MARCAS DE TIROS PELO CORPO

A Polícia Civil, por meio da delegada Ariane Magno Gomes, instaurou um inquérito para investigar um homicídio que aconteceu na madrugada de domingo (12) na cidade de Castanhal, região do nordeste paraense, onde um homem foi encontrado morto com marcas de tiros pelo corpo.

O investigador Carlos Alberto estava de plantão na Delegacia de Polícia Civil do bairro Centro de Castanhal quando, por volta das 3h30min, foi informado por policiais militares do Niop (Núcleo Integrado de Operações – 190) que um corpo havia sido encontrado jogado na rua Maximino Porpino, quase de esquina com a avenida Presidente Vargas, bem no centro comercial da cidade. Após as informações, os investigadores Carlos, Castelo e a delegada Ariane foram até o local e constataram que a informação era verdadeira.

No local, estava o corpo de um homem não identificado. Durante a remoção do corpo, peritos do Instituto Médico Legal (IML) detectaram perfurações provocadas por disparos de arma de fogo. Também no local esteve uma guarnição da Polícia Militar colhendo informações sobre como teria acontecido o assassinato. Moradores de rua disseram que a vítima caminhava normalmente quando, em determinado momento, 2 desconhecidos passaram e atiraram contra o homem, que morreu na hora. Os moradores de rua não deram mais detalhes sobre o crime.

Reportagem: Tiago Silva

DUPLA ACUSADA DE ASSALTO É PRESA COM ARMA DE FOGO E DROGAS

Dois homens foram presos pelos crimes de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo. Eles ainda são acusados de terem cometido assaltos no município de Bujaru, no nordeste paraense. A prisão da dupla aconteceu no final da noite de quarta-feira (8), por volta das 23h30min, depois que policiais militares receberam uma denúncia anônima informando que membros de uma gangue estariam escondidos em uma casa abandonada, localizada no bairro Centro de Bujaru, mais precisamente na primeira rua da invasão do “Cocal”.

Na denúncia dizia ainda que a casa funcionaria como ponto de preparo e comercialização de entorpecentes. De posse das informações, o sargento Frazão, mais o cabo Nilton e os soldados Barbosa e Luciana se dirigiram para o endereço informado, onde de início foram encontradas 2 mulheres. Ao serem perguntadas sobre onde estariam os denunciados, elas responderam que no imóvel não havia mais ninguém além delas. Mas, durante uma varredura na residência, os policiais militares acabaram encontrando 2 homens alvos da denúncia, que estavam escondidos debaixo do assoalho. Eles foram identificados como Hioran Piedade Santos e Jefferson de Oliveira Raiol, ambos de idades não informadas. Hioran e Jefferson já vinham sendo procurados pelas policias civil e militar, suspeitos de terem cometido assaltos em Bujaru. Contra eles, de acordo com o que consta registrado no boletim de ocorrência, existia mandado de prisão para ser cumprido.

Durante uma revista mais detalhada foi encontrado um revólver calibre 38 com 5 munições intactas, mais 2 cartuchos de espingarda calibre 16, também intactos. Entorpecentes dos tipos óxi e pasta base de cocaína também foram achados e apreendidos, além de uma balança de precisão e apetrechos utilizados na embalagem dos entorpecentes, como: linha, tesoura e cacos plásticos cortados em pedaços pequenos. Até um cachimbo usado para queimar pedra de crack foi encontrado. 4 telefones celulares, diversos chips e uma TV, que seriam produtos de roubo, também estavam na residência.

Todo o material apreendido e os acusados foram apresentados na Delegacia de Polícia Civil de Bujaru, no plantão da delegada Gersica Raphaela Veiga da Silva. Os presos Hioran Piedade Santos e Jefferson de Oliveira Raiol foram autuados pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo e munições, tráfico de drogas e, se for comprovado que os telefones celulares e a TV são produtos de roubo, os presos também responderão por receptação. A dupla ficou de ser transferida para uma das casas penais do Complexo Penitenciário de Santa Izabel, na região metropolitana de Belém.

Reportagem: Tiago Silva

quarta-feira, 8 de março de 2017

DETENTO É ESPANCADO ATÉ A MORTE EM SANTA IZABEL

O detento Carlos Robson da Paixão Costa, de 29 anos, foi espancado até a morte. O crime, praticado por outros internos, aconteceu no início da tarde desta quarta-feira (8), por volta das 12h30min, dentro do Centro de Recuperação Penitenciário do Pará I (CRPP I), em Santa Izabel, região metropolitana de Belém.

O caso foi confirmado pela Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe). As circunstâncias da morte serão apuradas por policiais civis da 17ª Seccional de Santa Izabel, onde o fato foi registrado. As evidências demonstram que o preso foi vítima de sucessivas agressões. A vítima teve as mãos amarradas para trás e depois teve a cabeça esmagada por pauladas e pedradas. Carlos Robson ainda teria recebido golpes de estoque (tipo de faca pontiaguda fabricada por detentos). O corpo foi logo removido para passar por exame de necropsia no Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Castanhal, região do nordeste paraense.

A Susipe informou ainda que nenhum interno assumiu a autoria do crime. A Polícia Civil instaurou um inquérito para que o caso seja investigado. A Corregedoria da Susipe também abriu uma sindicância administrativa para apurar o ocorrido.

Reportagem: Tiago Silva

ACUSADO DE HOMICÍDIO É PRESO EM CASTANHAL

A Polícia Civil prendeu, segunda-feira (6), em Castanhal, nordeste paraense, em cumprimento a mandado de prisão temporária, Denilson Ferreira de Sousa, acusado de atirar contra agentes penitenciários em Altamira, no Pará. A prisão foi efetuada por volta de 17 horas por policiais civis da Superintendência da Região Integrada de Segurança Pública, regional Guamá, sediada em Castanhal.

Segundo o delegado Themmer Khayat, titular da Superintendência, a investigação do crime é presidida por policiais civis de Altamira, Divisão de Homicídios e Núcleo de Inteligência Policial. Denilson estava escondido no conjunto Buritis, em Castanhal desde a sexta-feira passada, na casa de Aline Morais Vieira. Ela chegou a ser presa pela Polícia Civil de Castanhal por tráfico de drogas, no ano passado, e atualmente respondia ao processo em prisão domiciliar determinada pela Justiça.

No momento da abordagem policial, Denilson tentou fugir pulando o muro por trás da residência, mas a equipe policial havia feito o cerco e prendeu o procurado. Com ele, os policiais apreenderam diversos documentos falsos que eram usados por Denilson para não ser preso. Ele foi autuado em flagrante pelo crime de uso de documentos falsos. Já Aline Vieira foi autuada em Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pelo crime de favorecimento pessoal por ter dado abrigo ao foragido.

Reportagem: Tiago Silva

CORREIOS: TRIO É PRESO APÓS ASSALTO EM IGARAPÉ-AÇU

Na tarde de ontem (terça-feira), três homens foram presos após terem assaltado a agência dos Correios do município de Igarapé-Açu, no nordeste paraense. 2 armas de fogo municiadas foram apreendidas e certa quantia em dinheiro foi recuperada, além de telefones celulares. Todos os presos são da cidade de Castanhal, também na região nordeste do Estado.

Por volta das 15h, a guarnição do sargento Equicivaldo, formada ainda pelo cabo Ernesto e pelo soldado Da Silva, que estavam de serviço na viatura 0510, foram informados por populares dizendo que na avenida Barão do Rio Branco, no bairro Centro de Igarapé-Açu, bandidos estariam assaltando a agência dos Correios daquele município. Os policiais militares se dirigiram para o local e constataram que a informação era verdadeira. “Não foi com reféns. Na hora do assalto, um cidadão ia chegando e saiu do local. Ele não entrou na agência. Logo em seguida avisou a nossa viatura e nos informou sobre o assalto”, explicou o sargento Equicivaldo.

Foram presos: Joelson Gomes da Silva, 19, Ricardo Renan da Costa Vasconcelos, 20, e Francisco Antônio Silva Azevedo, de 35 anos. Com o trio foram apreendidos 2 revólveres calibre 38 municiados. Foram recuperados 4 telefones celulares, que haviam sido roubados de clientes, além do valor de R$ 4 mil, que havia sido roubado da agência dos Correios.

O trio foi apresentado na Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) de Igarapé-Açu, onde o delegado de plantão os autuou pelos crimes de roubo, porte ilegal de armas de fogo e associação criminosa armada. Também participaram da missão os cabos Guilherme, Torres e o soldado Lins, todos do recobrimento Tático da PM.

Reportagem: Tiago Silva