quinta-feira, 25 de maio de 2017

Há 3 dias, mulher escondia 100 gramas de maconha dentro da vagina



Em Castanhal, cidade do nordeste paraense, uma mulher de 27 anos foi presa pelo crime de tráfico de droga. Ela escondia dentro de sua vagina aproximadamente 100 gramas de maconha. Tudo foi descoberto depois que, por volta das 15h da última segunda-feira (22), policiais militares do Núcleo Integrado de Operações (Niop-190) foram informados por enfermeiros que uma mulher havia dado entrada no Hospital Municipal com certa quantidade de droga nas partes íntimas.

Uma equipe da Polícia Militar se deslocou até a unidade de saúde e constatou que a informação era verdadeira. A paciente teve que ser transferida para um hospital particular, onde um médico especialista conseguiu retirar a maconha de dentro da paciente. Ao ser questionada, Tassia Araújo Farias disse que, há 3 dias havia introduzido a droga em suas partes íntimas, e que saiu da cidade de São Miguel do Guamá com destino a Castanhal, onde entregaria a encomenda para um traficante do bairro Jaderlândia, o qual ela não soube ou não quis dizer o nome.

Após ser atendida, Tassia Araújo Farias foi conduzida à Delegacia de Polícia Civil do centro de Castanhal, onde foi autuada em flagrante pelo crime de tráfico de droga. Ela ficou de ser transferida para o Centro de Recuperação Feminino (CRF) de Ananindeua. Tassia não disse o valor que ganharia pelo serviço, que custou sua liberdade por algum tempo.


Por Tiago Silva (Diário do Pará) 

Polícia Civil prende mais um acusado de homicídio em Castanhal

Na tarde do dia 22/05, por volta das 16h, policiais civis da Divisão de Homicídios (DH) da cidade de Castanhal, nordeste paraense, deram cumprimento ao mandado de prisão preventiva contra José Onésio de Lima Silva, mais conhecido por “Cearazinho”, de 39 anos, acusado de ter sido o autor dos disparos de arma de fogo que provocaram a morte de Lairton Rocha Sousa, conhecido por “Loirinho”, de 18 anos.

O crime aconteceu na madrugada do dia 15 do mês passado, dentro de um bar, situado no bairro Estrela. Um dos disparos também acertou de raspão no pescoço de Jair Barbosa Arantes, de 41 anos. Jair sobreviveu, enquanto que Lairton morreu no local. “O acusado (Cearazinho) cometeu o crime na frente de dezenas de testemunhas. Ele, há 16 anos, trabalha como vigilante em Castanhal e, por ser bastante conhecido, logo foi denunciado”, disse o delegado Nélio Magalhães, diretor da Divisão de Homicídios de Castanhal. O policial civil disse ainda que, após praticar o crime, José Onésio retornou à cena do crime e assistiu o corpo de sua vítima ser removido por peritos do IML. “Ele (Cearazinho) é considerado perigoso, inclusive é suspeito de envolvimento em outros crimes de homicídio na cidade”, reforçou o delegado Nélio Magalhães.



Os policiais civis ainda não descobriram a real motivação, já que o acusado negou qualquer tipo de envolvimento no homicídio e na tentativa de homicídio. José Onésio de Lima Silva foi preso dentro da casa dele, localizada no conjunto dos Providentinos, área do bairro Novo Caiçara, às margens da rodovia PA-136. José Onésio não resistiu à prisão. Ele já está custodiado no Centro de Recuperação de Castanhal (CRCAST) à disposição do poder judiciário até o dia de seu julgamento.

Com as diligências de ontem, somam-se em 12 mandados cumpridos neste mês pela equipe da Divisão de Homicídios de Castanhal, sendo 5 cumprimentos de prisão preventiva, 4 cumprimentos de prisão temporária e 3 cumprimentos de mandados de busca e apreensão.


Por Tiago Silva (Diário do Pará) 

Violência no interior: 4 são mortos a tiros, facadas e pauladas



Para quem pensa que a violência acontece somente na capital paraense ou na região metropolitana está muito enganado. No interior do Estado, a violência também está presente. Em menos de 15 horas, na região do nordeste paraense, 4 pessoas foram mortas a tiros, facadas e pauladas. Nenhum dos envolvidos nos crimes foi preso ainda.

O primeiro crime aconteceu na cidade de Capanema, por volta das 23h de segunda-feira (22), no bairro Almir Gabriel, onde Elizeu de Oliveira Travassos, de idade não informada, foi esfaqueado e espancado até a morte. A vítima teria praticado um assalto e sido perseguida por populares até ser alcançada na Avenida João Paulo II. Durante a fuga, Elizeu teria efetuado disparos de arma de fogo e um dos disparos teria atingido um mototaxista, fato que despertou a fúria da categoria e de alguns moradores do bairro, que fizeram justiça com as próprias mãos. Enquanto ao mototaxista, ele foi socorrido e transportado até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas de Capanema, mas seu estado de saúde é considerado estável.

Já na cidade de São Caetano de Odivelas, por volta das 5h de ontem, dois homens foram executados a tiros dentro de uma casa, localizada no bairro Nova Marabá. As vítimas foram identificadas como Anderson Correa de Lira, 18, e Caio Almeida Ribeiro, de 19 anos. De acordo com informações colhidas no local, os assassinos (não se sabe ainda quantos), todos encapuzados, invadiram a casa e executaram a dupla com vários tiros. Cápsulas de pistola Ponto 40 foram encontradas na cena do crime. Ainda de acordo com possíveis testemunhas, os executores teriam fugido do local em um carro modelo Hilux, de cor prata, placa não anotada. Anderson Correa e Caio Almeida seriam moradores da localidade de Murinim, pertencente ao município de Benevides, e teriam envolvimento na morte do soldado Rayol, ocorrida no mês passado em Murinim. Todas as informações ainda estão sendo apuradas pela equipe do delegado Vinicius Florêncio, da Polícia Civil. A real motivação ainda é desconhecida.

E, na manhã de ontem, por volta das 10h30min, na cidade de Curuçá, Claudomiro da Cruz Campos, de 32 anos, foi assassinado com 3 tiros de revólver, sendo 1 na cabeça e 2 no tórax. O crime aconteceu no quintal da residência da vítima, situada na Vila de Caratateua, mais precisamente na rua Liberdade, zona rural. O assassino teria tido ajuda de mais 5 homens, que fugiram do local sem serem identificados. Informações colhidas no local dão conta de que Claudomiro já havia sido preso por roubos de motocicletas.

INVESTIGAÇÕES

Os três corpos foram removidos por peritos para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Castanhal, onde passaram por exames de praxe. Depois foram liberados aos familiares para velórios e sepultamentos. Os casos estão sendo investigados pela Polícia Civil. Até o fechamento dessa edição ninguém havia sido preso.


Por Tiago Silva (Diário do Pará) 

Presos suspeitos de envolvimento em assassinato de líder comunitária



Três homens e uma mulher foram presos suspeitos de envolvimento no assassinato da líder comunitária Kátia de Souza Martins, de 43 anos, ocorrido no dia 4 deste mês, dentro da casa da vítima, situada no Assentamento 1º de Janeiro, zona rural da cidade de Castanhal, região do nordeste paraense. Contra os acusados existiam, em aberto, mandados de prisões temporários decretados pela justiça que foram cumpridos na manhã de ontem.

Kátia de Souza Martins foi assassinada com 3 tiros de arma caseira, efetuados por uma dupla que chegou e fugiu do local em uma motocicleta, segundo testemunhas. Os criminosos estavam encapuzados e praticaram o crime na frente do neto da vítima, de 6 anos. Antes de ser morta, Kátia sentou num sofá e pediu para que os bandidos não fizessem nada de mal contra seu neto. O assassinato da líder comunitária repercutiu negativamente em todo o Estado, inclusive com a notícia publicada em programas de TV de grande audiência no país. O corpo dela foi velado e sepultado no interior da cidade de Capanema, ainda na região do nordeste paraense.

Policiais civis da Divisão de Homicídios (DH) de Castanhal investigaram o crime e chegaram aos nomes de quatro suspeitos, identificados como Pedro Pereira Barroso Filho, 45, Adriana Cristina Ferreira Coelho, 43, Willian Coelho dos Santos, 25, e Nazareno da Mota Oliveira, de 41 anos; todos moradores do mesmo assentamento em que a vítima era presidente. “Por enquanto a hipótese de conflito agrária está sendo afastada e a principal linha de investigação passa a ser o conflito interno entre os próprios assentados”, disse o delegado Nélio Magalhães, responsável pelas investigações. O policial civil explicou que as investigações apontam Pedro Pereira, Nazareno da Mota e Adriana Cristina como sendo os mandantes do crime e Willian Coelho, que é filho de Adriana e enteado de Pedro, como sendo um dos executores. Outro executor ainda não foi identificado.

DESAVENÇA

Vítima e acusados já teriam se desentendido várias vezes antes, segundo o delegado Nélio Magalhães. “Inclusive por várias vezes Adriana Cristina ameaçou de morte Kátia de Souza dizendo que, mesmo sendo reeleita, Kátia não iria ocupar o cargo por muito tempo”. O delegado Nélio informou ainda que, poucos dias antes do crime, Pedro Pereira teria ido a um assentamento vizinho em busca de um pistoleiro da área conhecido como “leco-leco”.

Tal pistoleiro teria cobrado o valor de dez mil reais para fazer o serviço, mas “leco-leco” não foi contratado devido a Pedro não possuir a alta quantia em dinheiro, segundo consta nos altos das investigações. Willian Coelho teria cometido o crime a pedido de sua mãe, Adriana. Enquanto que Nazareno da Mota também é citado como colaborador do assassinato da líder comunitária. Todos negaram as acusações e alegam serem inocentes. Após serem ouvidos na sede da Divisão de Homicídios de Castanhal, os acusados Pedro, Willian e Nazareno foram encaminhados para o Centro de Recuperação de Castanhal (CRCAST). Adriana ficou de ser transferida para o Centro de Recuperação Feminino (CRF), em Ananindeua, região metropolitana de Belém.

As prisões temporárias de 30 dias, decretadas pelo juiz de direito Líbio Araújo Moura, podem ser prorrogadas por mais 30 dias ou convertidas em prisões preventivas. “As investigações prosseguem na tentativa de identificar e prender o outro atirador”, finalizou o delegado Nélio Magalhães.


Por Tiago Silva (Diário do Pará) 

sábado, 20 de maio de 2017

Detentos fogem de presídio em Santa Izabel. Dois agentes ficaram feridos e um interno morreu



Ao menos 15 detentos fugiram do Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III (CRPP III), em Santa Izabel, Região Metropolitana de Belém, na tarde de ontem (19). A fuga ocorreu por volta das 13h30, durante o horário de visita, na unidade prisional. Segundo informações do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), os presos estavam armados e fugiram pela área de mata tomando quatro agentes prisionais como reféns, sendo que todos já foram liberados.

Dois agentes ficaram feridos sem gravidade, sendo que um deles teria sido baleado no braço direito e outro no pé direito. Os ferimentos teriam sido provocados pelos internos que possuíam armas de fogo. Testemunhas afirmam ainda que três internos teriam morrido na mata próximo ao do CRPP III, porém a Susipe confirmou a morte de apenas um interno. O nome dele ainda não foi divulgado. O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Castanhal. Enquanto aos 2 agentes feridos, eles foram levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas da cidade de Castanhal e passam bem.

A segurança no Complexo Penitenciário de Santa Izabel foi reforçada. As equipes do Comando de Missões Especiais da Polícia Militar realizaram buscas na área com a ajuda de um helicóptero do GRAESP para tentar localizar os detentos que fugiram, mas até o fechamento dessa edição ninguém havia sido recapturado. Os internos teriam fugido com a ajuda de um bando armado qu teria dado apoio do lado de fora. Alguns deles estariam utilizando rádios HT com a frequência da polícia, inclusive as equipes policiais, por determinado momento, pararam de se comunicar via rádio HT.

A Susipe esclareceu ainda que todos os centros de detenção do Estado operam dentro da normalidade, após o ocorrido. As buscas continuam na tentativa de localizar e recapturar os fugitivos.


Texto: Tiago Silva (Repórter Diário do Pará) / Fotos: divulgação 

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Dupla vai em cana acusada de matar “Badala” com pistola Ponto 40






Policiais civis da Divisão de Homicídios (DH) da cidade de Castanhal, nordeste paraense, sob o comando do delegado Nélio Magalhães, deram cumprimento aos mandados de prisão preventiva expedidos pela justiça em desfavor de Felipe Gabriel França e Leandro Marques do Nascimento, ambos de 20 anos, acusados de juntos terem praticado um homicídio.


Os mandados de prisão preventiva foram cumpridos ontem (18) pela manhã. O crime aconteceu no dia 19 do mês passado, no bairro Ianetama, em Castanhal, mais precisamente, em frente a uma residência situada no final da rua Comandante Assis. A vítima, identificada como Leonardo da Silva Gomes, conhecido por “Badala”, de 34 anos, foi executado com vários tiros de pistola calibre Ponto 40, que foi apreendida pelos policiais civis. A numeração original da arma de fogo estava raspada. Felipe Gabriel e Leonardo Marques já possuem passagens por crime de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

Os acusados foram apresentados e ouvidos na sede da Divisão de Homicídios de Castanhal, onde confessaram participação no assassinato de Leonardo da Silva Gomes, o “Badala”. Presa, a dupla está custodiada no Centro de Recuperação de Castanhal (CRCAST) à disposição do poder judiciário. A polícia tenta descobrir a origem da pistola Ponto 40, que estava em poder dos acusados.


Texto e fotos: Tiago Silva (Diário do Pará) 

Corpo de foragido é encontrado na BR-308 na comunidade de Cearazinho


Um corpo foi encontrado as margens da rodovia BR-308, na comunidade do Cearazinho, distante 15 km da sede do município de Bragança. A vítima estava desaparecida desde a madrugada de terça-feira (16/05), na comunidade do Aturiai, de onde foi levado por pelo menos 3 pessoas.

Na manhã desta quinta-feira (18/05), o corpo apareceu desovado. Antonio Rosinaldo Borges da Silva, 31 anos, vulgo ¨Antonio Branco¨, foi morto a tiros. As marcas de disparos estavam em várias partes do corpo que se encontrava em estado avançado de decomposição

A Polícia Civil, sob comando do delegado Vicente Leite, esteve no local, juntamente com a Polícia Militar, sob comando do sargento Lauro. O Instituto Médico Legal, núcleo avançado de Bragança, foi acionado e fez a remoção do corpo para Castanhal.

Segundo informações de familiares Antonio Branco respondia a um crime de homicídio qualificado, que ocorreu em 04/09/2007. Após consulta feita no sistema de Segurança Pública também ficou constatado que Antonio era foragido de justiça, desde o dia 01/11/2015, onde cumpria a pena na Colônia Agrícola Heleno Fragoso, em Santa Isabel.

Redação Notícia Virtual (Com informações repassadas ao grupo últimas Notícias)